Por que não eu?

Pra que as coisas sejam diferentes, alguém tem que começar a fazer diferente.

A gente não pode esperar que tudo mude pra mudar. Se ninguém começar, nada nunca vai mudar.

Alguém tem que começar.

Parece tão óbvio, né? Mas olha só que eu mais ouvi sempre que sugeria algo diferente do padrão, do “normal”, do jeito que as coisas são: “não vai dar certo”, “ainda não dá”, “isso não funciona assim”, “isso é desse jeito, e não daquele”, “não adianta mudar”, “não adianta fazer nada”, “que diferença vai fazer se só eu fizer?”.

No trabalho: “os funcionários ainda não têm maturidade para isso” (“isso” era uma modernidade na gestão).

Na política: “mas o congresso funciona assim e se não se fizer isso não se governa” (“isso” são os acordos com os diabos).

Na alimentação: “não adianta nada eu fazer isso se os outros 6 bilhões não fazem” (“isso” é deixar de comer carne).

Na vida: “não dá pra dizer isso ainda” (“isso” era a verdade).

Se tu for esperar os outros pra fazer alguma coisa tu nunca vai fazer nada.

Esse motivo, aliás – não querer fazer porque os outros ainda não fazem, não entendem, não estão preparados etc -, é uma boa desculpa pra quem não quer mesmo fazer nada.

Não importa o que os outros fazem ou deixam de fazer. Eu vou fazer o que sinto que tenho que fazer. Aquilo que faria mesmo se não houvesse ninguém olhando. Aquilo que ninguém pode fazer, só eu. Aquilo que vou morrrrerrrr se não fizer, porque é a expressão de quem eu sou.

Se ninguém fizer, nada nunca vai mudar. Alguém tem que fazer – por que não eu?

2 comentários

  1. Bela reflexão. Já dizia buda “a primeira mudança tem que acontecer dentro de você”.
    Pra mim esta mudança implica coragem, e daí nasce a inspiração! Parabéns.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*